Campo de busca

Post destaque 1

Post destaque 1
Maquiagem para pele negra

Post 2

Post 2
Dica de passeio: cachoeiras em Conceição do Mato Dentro!

Post 3

Post 3
A elegância das capas!

Post 4

Post 4
Tendência: Strappy Bra!

Post 5

Post 5
Uber: o que você precisa saber sobre o aplicativo que está mexendo com BH!

DICA DE LEITURA: ESTAÇÃO ONZE

15 janeiro 2016
No ano de 2015 ler por divertimento foi algo que fiz muito menos do que normalmente faço e do que gostaria, muito por causa do último semestre da faculdade e do temido e odiado TCC.  Sendo assim, no último dia do ano tratei logo de comprar dois novos livros, pra mudar de vez essa estatística.

O escolhido para início das leituras do novo ano foi Estação Onze de Emily St.  John Mandel, autora não muito conhecida no Brasil, mas que já possui outras três obras de sua autoria. O motivo da compra, confesso, foi a capa linda, com uma textura super gostosa e um comentário super positivo de, ninguém mais ninguém menos que, George R. R. Martin, autor da série Game of Thrones, o que, vamos combinar, não é pra qualquer um, né?!



Estação Onze é um livro de ficção científica acerca da sobrevivência do que restou da população em um contexto pós apocalíptico. Com uma narrativa em terceira pessoa a história é contada em nove capítulos sob os pontos de vista de diversos personagens que ora falam sobre o momento presente em um mundo totalmente diferente do que conheciam, ora voltam ao passado. Não há heróis, vilões, romances, ou criaturas sobrenaturais, apenas personagens muito interessantes e cativantes. A leitura é extremamente inteligente e envolvente. Impossível não se imaginar na situação que o livro apresenta e refletir sobre o assunto. Minha única "reclamação" foi a autora não ter se aprofundado muito em certos personagens que me simpatizei. Fora isso,  é um livro que recomendo muito e que gostaria de futuramente ver uma continuação.



Páginas: 318
Preço: R$18
Editora: Intrínseca
Autora: Emily St.  John Mandel
Sinopse: Certa noite, o famoso ator Arthur Leander tem um ataque cardíaco no palco, durante a apresentação de Rei Lear. Jeevan Chaudhary, um paparazzo com treinamento em primeiros socorros, está na plateia e vai em seu auxílio. A atriz mirim Kirsten Raymonde observa horrorizada a tentativa de ressuscitação cardiopulmonar enquanto as cortinas se fecham, mas o ator já está morto. Nessa mesma noite, enquanto Jeevan volta para casa, uma terrível gripe começa a se espalhar. Os hospitais estão lotados, e pela janela do apartamento em que se refugiou com o irmão, Jeevan vê os carros bloquearem a estrada, tiros serem disparados e a vida se desintegrar.
Quase vinte anos depois, Kirsten é uma atriz na Sinfonia Itinerante. Com a pequena trupe de artistas, ela viaja pelos assentamentos do mundo pós-calamidade, apresentando peças de Shakespeare e números musicais para as comunidades de sobreviventes. Escrita no primeiro trailer da caravana e tatuada no braço de Kirsten, uma frase de Star Trek: Voyager - "Sobreviver não é suficiente". 
Alternando entre os grandiosos tempos antes da tragédia e o mundo que existe vinte anos depois,  Estação Onze traça as inesperadas reviravoltas no destino que unem seis pessoas - além de Arthur Leander, Jeevan e Kirsten, acompanhamos a primeira esposa de Arthur,  Miranda,  o melhor amigo do ator,  Clark,  e um misterioso e autoproclamado "profeta"  -,  e cada uma delas oferece uma perspectiva única da vida,  dos relacionamentos e da beleza do mundo em que vivemos.



E vocês,  já conheciam este livro? Tem algum título para me recomendar? Comentem! 

APOIE O BLOG NAS REDES SOCIAIS!

xoxo :*

Um comentário: